Núcleo de Estudos da Política e História Social da
Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
(NEPHS-UFRRJ)

O Núcleo de Estudos da Política e História Social da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (NEPHS-UFRRJ) foi gestado na intenção de incentivar investigações e aprofundar reflexões capazes de estabelecer pontes de comunicação entre dois campos de investigação historicamente constituídos de forma quase autônoma e, por vezes, em oposição: os da História Política e da História Social. A chave proposta para a realização desse movimento de aproximação é a ampliação do que entendemos por Política. Daí a adoção de uma outra nomenclatura - a de estudos da Política.

Apostamos no tratamento da Política como ação que procura legitimar e impor representações do mundo social, bem como práticas e projetos organizados a partir dessas representações. Isto abre a possibilidade de direcionarmos o olhar para processos sociais que envolvam desde conflitos e estabelecimento de fronteiras entre grupos até a produção de consenso tanto no espaço social mais amplo, como em instituições definidas e bem delimitadas. Busca-se, portanto, ultrapassar as limitações de considerar a política como circunscrita a uma esfera específica – a chamada “esfera da política”, que remete em geral à Política formalizada em partidos ou instituições que disputam o poder de Estado e os projetos globais para a sociedade, – para pensá-la de forma ampla.

Fundamentando essa aproximação entre os domínios da Política e do Social está um profícuo diálogo com a antropologia, que possibilitou novas formas de abordagem dos contextos e processos históricos. Da interpretação das evidências à análise dos sistemas simbólicos e significados sociais a cultura está no centro da cena, não como consenso, mas como arena de conflitos. Comprometida em enraizar socialmente os agentes históricos e dar sentido às suas práticas, esta perspectiva aposta na compreensão das experiências de homens e mulheres e das relações sociais, nos processos de formação de identidades coletivas e seu papel nas transformações históricas mais gerais.

Nesse sentido as formas de encenação pública das representações sociais, as práticas de cidadania e lutas por direitos, as disputas em torno da lei e os processos educativos em geral são parte disto que chamamos de ação política e de fenômenos políticos. Por fim, vale destacar que os processos de instituição e institucionalização de grupos sociais, de construção de identidades coletivas e de redes sociais, implicam em ações políticas ainda quando não buscam ocupar arenas tradicionalmente reservadas aos que disputam o poder de Estado.


Atividades

O seminário funciona como laboratório de preparação de projetos e monografias que são tomados no final do período como objeto de avaliação.
-