Artigos - Cristiana Schettini Pereira

Título Descrição Link
Presentación del dossier: Gobierno de la ciudad, policía, y poder municipal “Magmas de denuncias que exhalan una cotidianidad banal”: la frase es de Arlette Farge (Le goût de l`archive, 1989) y capta con especial agudeza los desafíos que enfrenta el historiador al trabajar con fuentes judiciales, policiales y municipales. En tanto documentos producidos por autoridades públicas, revelan maneras concretas de existencia del poder estatal, pero aun así – como escribe Farge– “dejan entrever redes sociales y formas específicas de vivir en medio de los demás”. . Esa doble cara de las fuentes que dan cuenta de minúsculos conflictos en la ciudad, permitiendo vislumbrar, a la vez, lógicas de gobierno local y de prácticas sociales, es un posible hilo conductor de los trabajos de este dossier, enfocado en el caso de la ciudad de Buenos Aires. A través de ese eje se reúnen artículos de diversas investigaciones que enfrentaron el problema de re-visitar series documentales producidas en sede municipal y policial, con énfasis en el período que se extiende desde mediados del siglo XIX hasta comienzos del XX.
Ordenanzas municipales, autoridad policial y trabajo femenino: la prostitución clandestina en Buenos Aires, 1870-1880 Este artículo aborda los años posteriores a la aprobación de la ordenanza de 1875, que reglamentó las casas de prostitución, para examinar su impacto en los sentidos morales atribuidos a ciertos lugares de ocio y sociabilidad masculina que dependían del trabajo femenino. Se trata de un periodo marcado por la aprobación de inéditos reglamentos sobre viviendas y lugares de sociabilidad en el marco de la construcción del poder municipal. En especial, argumenta que la noción de ?prostitución clandestina? permite examinar la construcción cotidiana de la autoridad, los ámbitos municipales como escenarios de disputa entre derechos y los arreglos laborales entablados en estos lugares.
O negócio do prostíbulo: municipalidade e trabalho sexual (Buenos Aires, 1875) O artigo analisa a construção da autoridade municipal na cidade de Buenos Aires ao longo dos primeiros anos de vigência do regulamento de casas de prostituição, aprovado em 1875. Através da documentação municipal, busca acompanhar alguns momentos das mudanças nas modalidades de exercício da prostituição a partir das ações municipais e policiais. Com isso, argumenta que a persistência de formas diversas de trabalho sexual e sua aceitação social obrigavam as autoridades municipais a reconhecer sua existência, enquanto enfrentavam os desafios da aplicação do regulamento. Ao mesmo tempo, sugere que os sentidos morais deste processo de definição de lugares para a prostituição foram delineados de forma imbrincada com os processos de especulação e expansão urbana.
Introduccion: Sirvientas, trabajadoras y activistas. El Genero en la Historia Social Inglesa Introduccion al Dossier Sirvientas, trabajadoras y activistas. El Género en la Historia Social Inglesa, que reune la traducción al español de tres artículos clásicos de la historia social inglesa, de las autoras Dorothy Thompson, Catherine Hall y Carolyn Steedman, organizado, editado y revisado por el grupo Historia Social y Género del Instituto Interdisciplinario de Estudios de Genero.
Apresentacao do Dossie Trabalhadores e Poder Municipal O âmbito municipal, talvez o mais cotidiano, de encontro entre o Estado e os trabalhadores, e ainda tão pouco conhecido em suas peculiaridades, surge cada vez mais como um recorte promissor para os historiadores do trabalho. Nesta breve introdução, queremos chamar a atenção para as possibilidades analíticas que se abrem a partir do tratamento do âmbito municipal como um prisma para iluminar certas dimensões de conflito social que perpassavam a experiência cotidiana dos trabalhadores na cidade.
Looking through the window: prostitutes and their neighbours This article analyses some of the debates on the regulation of sex trade in Rio de Janeiro and the enforcement of a particular set of non-regulationist policies at the beginning of the First Republic (1889-1930). I argue that against the background of conflicts in local politics and labour relations, non-regulationist policies in Rio de Janeiro opened up unexpected possibilities for prostitutes, who reinterpreted the available law in their dealings with neighbors and other workers. The historical process of the abolition of slavery in Brazil, together with the consolidation of an authoritarian republican regime, created the conditions that allowed Rio de Janeiro's police to enforce a particular policy of surveillance and control of specific groups of prostitutes. This policy resulted in the increasing clustering of prostitutes particularly those who used to parade themselves in the doors and windows of their own homes in designated urban spaces. Although this process had a significant impact on the relationship between the groups of prostitutes and other workers and neighbours, it nevertheless failed to dissolve their bonds.
South American Tours: work relations in the entertainment market in South America This article explores the relationships between young European women who worked in the growing entertainment market in Argentine and Brazilian cities, and the many people who from time to time came under suspicion of exploiting them for prostitution. The international travels of young women with contracts to sing or dance in music halls, theatres, and cabarets provide a unique opportunity to reflect on some of the practices of labour intermediation. Fragments of their experiences were recorded by a number of Brazilian police investigations carried out in order to expel ‘undesirable foreigners under the Foreigners Expulsion Act of 1907. Such sources shed light on the work arrangements that made it possible for young women to travel overseas. The article discusses how degrees of autonomy, violence, and exploitation in the artists' work contracts were negotiated between parties at the time, especially by travelling young women whose social experiences shaped morally ambiguous identities as artists, prostitutes, and hired workers.
Exploração, gênero e circuitos sul-americanos nos processos de expulsão de estrangeiros (1907-1920) Este artigo aborda uma variedade de relações estabelecidas entre homens e mulheres suspeitos de envolvimento com a exploração da prostituição por meio de processos de expulsão de estrangeiros no começo do século XX. As dimensões transnacionais de suas vidas, em especial seus deslocamentos entre Argentina e Brasil, são fundamentais para entender as estratégias de sobrevivência e as margens de ação.
Circuitos de trabalho no Mercado de diversões sul americano no começo do século XX Este artigo explora algumas das condições materiais que tornaram possível a viagem, entre Argentina e Brasil, de jovens mulheres que trabalharam num mercado de diversões nas primeiras décadas do século XX. Para isso, enfoco situações em que os companheiros de viagem dessas mulheres foram acusados de proxenetismo, terminando por enfrentar processos de expulsão de estrangeiros. O artigo propõe uma perspectiva de gênero que considera a acusação moral, fosse de prostituição ou de proxenetismo, como expressão de conflitos mais gerais sobre os significados de exploração e trabalho no período. El trabajo fue publicado en mayo de 2012, aunque el número de la revista Cadernos AEL se refiere al segundo semestre de 2010.
Emma Goldman e a experiência das mulheres das classes trabalhadoras no Brasil Neste breve texto, as palavras de Emma Goldman sobre as trabalhadoras que se envolveram com o comércio sexual serão tomadas como um pretexto para uma reflexão sobre algumas questões relativas à pesquisa do tema no campo da história social e, em particular, sobre o lugar que as leis e as fontes judiciais ocuparam na historiografia brasileira sobre prostituição. Como efeito colateral, talvez esta aproximação nos aponte algum caminho para encontrar uma Emma que seja, ao mesmo tempo, um pouco familiar e também um pouco estranha aos nossos olhos feministas posicionados a um século de distância. Para isso, quero retomar algumas redes de interlocução nas quais seu texto pode ser inserido. Depois, passo ao caso brasileiro, para terminar propondo dois exemplos de casos em que a atenção a marcos legais locais e o acesso a fontes judiciais que eles produziram podem revelar alguns sentidos que as histórias de tráfico adquiriram para mulheres que exerceram o comércio sexual no começo do século XX
Apresentação- Dossiê Perspectiva de gênero no Mundos do Trabalho Na escolha dos artigos para o dossiê, optamos por enfatizar duas dimensões específicas: buscamos dar um formato transnacional a este diálogo historiográfico, reunindo trabalhos em curso de historiadoras brasileiras e argentinas, com a participação especial de uma historiadora indiana. De certo modo, estes trabalhos refletem os diferentes percursos profissionais e os diálogos que deram forma ao campo dos estudos históricos e dos estudos feministas no Brasil e na Argentina. Ao mesmo tempo, optamos por selecionar artigos que exploram experiências sociais relacionadas a diferentes formas de trabalho informal, muitas vezes quando a própria idéia de trabalho está em questão para os sujeitos e grupos estudados.
Empregados no comercio e prostitutas na formação da classe trabalhadora no Rio de Janeiro Este artigo é o resultado do encontro de duas pesquisas sobre trabalho e sociabilidade de grupos de trabalhadores e trabalhadoras na cidade do rio de Janeiro das últimas décadas do século XiX e início do XX pouco estudados pela historiografia: os empregados no comércio (chamados então de caixeiros) e as prostitutas. Nossa intenção foi retomar e aprofundar a conexão entre duas linhas de pesquisas que tenderam a desenvolver-se de forma paralela, e que só recentemente tem encontrado frutíferos pontos de diá- logo: a que se concentrou no mundo de sociabilidade e diversão popular carioca, e a que se dedicou ao campo da história do trabalho. Procuramos assim contribuir para o debate sobre o fazer-se da classe trabalhadora carioca de forma mais abrangente em relação aos grupos que a compõe, assim como para incluir definitivamente as formas culturais como de fundamental importância nesse processo.
Hacia la historia social de los abogados: una visión del caso brasileño En este artículo nos remitimos a la producción historiográfica reciente en Brasil en el campo que se viene denominando como historia social del derecho. Nuestra intención es identificar como ha surgido y ha sido problematizado el tema de los abogados en los últimos años. Discutiremos cómo algunos estudios concretos, al interrogarse sobre temas clásicos de la historia brasileña en el siglo XIX, tales como la esclavitud, su relación con el liberalismo, y la formación del estado imperial, han reparado en el tema de los abogados, y lo han estudiado desde distintas perspectivas teóricas y metodológicas. A partir de contrastar trabajos concretos e hipótesis teóricas, esbozaremos una agenda de problemas para una investigación de los abogados como objeto de la historia social.
Esclavitud en blanco y negro: elementos para una historia del trabajo sexual femenino en Buenos Aires y en Río de Janeiro a fines del siglo XIX En este artículo, enfoco los debates locales sobre las políticas para la prostitución en Buenos Aires y en Río de Janeiro, y algunos arreglos de trabajo sexual que involucraban mujeres nativas. Argumento que los arreglos locales de trabajo sexual son tan cruciales para la comprensión de los significados de las historias de tráfico de mujeres y los debates sobre el control de la prostitución en Buenos Aires y en Río de Janeiro como lo es reconocer la dimensión internacional de esas historias. En la primera parte, examino brevemente algunos momentos de los debates sobre la reglamentación de la prostitución en Buenos Aires y en Río de Janeiro. Algunas modalidades de trabajo sexual vigentes en las dos ciudades a finesl del siglo XIX son discutidas en la segunda parte.
Lavar, passar e receber visitas: debates sobre a regulamentação da prostituição e experiências de trabalho sexual em Buenos Aires e no Rio de Janeiro, fim do século XIX Este artigo explora os debates em torno da regulamentação da prostituição e algumas experiências de trabalho sexual em Buenos Aires e no Rio de Janeiro, numa perspectiva contrastante. A intenção é evidenciar algumas conexões entre os debates regulamentaristas e os debates sobre as relações de trabalho em ambas cidades no final do século XIX.
Sexual commerce and Transnational Experiences in South America at the Beginning of the Twentieth Century This article focuses on the transnational experiences of a specific group of European women associated with prostitution who lived in Brazilian and Argentinean cities at the beginning of the twentieth century. Although those women are considered in historiography as part of the ?white slave trade?, this text deals with other dimensions of their life and work experiences. I argue that the transnational dimension of social experiences of women identified as victims of pimps is fundamental in understanding their social networks and their strategies to deal with the prevailing social organisation of sexual commerce in each city. Their experiences also illustrate aspects of many other groups of immigrant workers in the period.

Atividades

O seminário funciona como laboratório de preparação de projetos e monografias que são tomados no final do período como objeto de avaliação.
-